"O inimigo mais perigoso que você poderá encontrar será sempre você mesmo." ( Friedrich Nietzsche )

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Mestres dos Quadrinhos Eróticos – Pichard I

'
Agradecimentos ao Godot, pelo envio da Condessa Vermelha
e próximos álbuns.

.
Georges Pichard nasceu em Paris, em 07 de janeiro de 1920. Trabalhou inicialmente como artista publicitário e foi professor de desenho artístico e ilustração. Teve como alunos alguns dos grandes nomes dos quadrinhos franceses, como Marcel Gotlib e Annie Goetzinger. Em 1946 partiu para a imprensa humorística, publicando cartuns e desenhos em publicações como Rire e Vielléss des Chaumières. Muitos desses trabalhos foram publicados no Brasil nas revistas de piadas dos anos 40 e 50, como Rir e A Caricatura. Sua primeira história em quadrinhos foi Tenebrax, com roteiros de Jacques Lob, para a revista Chouchou. Junto com o mesmo roteirista criou a paródia Submerman para a conceituada revista Pilote, em 1967.


“Edgar Dunor, a writer of detective novels, and his faithful assistant Doum, thwart the plans of mad scientist Tenebrax, who is plotting to take over Paris. Tenebrax lives in a huge underground metropolis secretly connected to the Paris Subway, and controls an army of giant, intelligent rats.
'
Tenebrax was originally serialized in "Chouchou" in 1963, but was not completed when the magazine folded. The end of the story was then published the following year in the Italian magazine "Linus".
Tenebrax was eventually collected in the graphic novel format by SERG in 1966.”

Tudo isso utilizando um traço caricato, diferente do que empregaria nas séries que o consagrariam no futuro.
A primeira a levá-lo à fama e a mudar de estilo foi Lolly Strip, uma personagem super sexy, publicada inicialmente na aqui muito citada V Magazine. A série depois ganhou um álbum de luxo do editor que publicou todas as importantes séries eróticas da França, nos anos 60, Eric Losfeld (1966). Em Lolly Strip encontramos a gênese das outras personagens que deram fama e fortuna a Pichard, como Paulette, Blanche, Epiphanie, Ulisses e Kama Sutra.
'
Usando uma técnica de desenho apuradíssima, arredondando de forma extremamente erótica as suas figuras femininas, Pichard é um dos quadrinhistas franceses mais publicados no mundo inteiro. Paulette é sua mais conhecida personagem, com mais de mil páginas publicadas, em que humor e erotismo se mesclam de forma perfeita.
Outra obra importante de Pechard é a Odisséia de Homero, com textos de Jacques Lob. Adaptada de forma original, misturando mitologia grega com universos tirados da ficção científica, a série saiu originalmente na revista de quadrinhos francesa Phenix, que era também uma publicação que estudava os comics.
Para os fãs do erotismo com requintes de sado-masoquismo mais perversos que os apresentados por Guido Crepax, Pichard desenhou Marie Gabrielle de Saint-Europe.
'
E ainda, na mesma linha ilustrou A Condessa Vermelha, a partir de uma adaptação de Sacher-Masoch, assinada por Lo Ducca, lançada no Brasil na Coleção Ópera Erótica, da Editora Martins Fontes.
'

A Condessa Vermelha
.


CLIQUE PARA LER
'








DOWNLOAD

Sua versão para Carmen, de Merimée, baseada na famosa ópera, também saiu aqui pela mesma série. Temos ainda as satíricas Borneo Joe, Les Sorcières de Thessalie e L’Usine.

Tio Pichard, contador de histórias, com seu cachimbo...


Próxima parte: Kama Sutra

2 comentários:

Anônimo disse...

Neide,

Fabuloso esse post! A história da Condessa Bathory é sensacional! Parabéns por sua pesquisa,seriedade e dedicação,muié!!!
Ah!E antes que eu esqueça...Está tendo uma votação lá na Taverna do Bárbaro sobre o boot da semana que vem! Compareça e vote,please! Um beijão,Miguelito.

neide disse...

Tudo bem querido mestre Miguelito, mais tarde, quando as minhas amigas corujas pousarem ao meu lado, marcarei minha presença...rss

Abraços e beijos em você e na Márcia!