"O inimigo mais perigoso que você poderá encontrar será sempre você mesmo." ( Friedrich Nietzsche )

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Alaire - Flamenco

“De uma casta de Arte Mágica, o Flamenco nos chama à exaltação em vozes suspensas no tempo que o ritual do “compás” consagra e de que não saímos ilesos, pois na raiz dessa emoção há uma chama ancestral que buscamos manter viva.
Parece que o vento nos ensina a andar a seu favor...evitando assim o confronto.
Porém é somente andando contra o vento que ele se faz notar, é criando o atrito que a presença surge.
No começo parecia impossível criar um cd de flamenco elaborado e produzido no Brasil e por brasileiros...
Mas quando se decide andar contra o vento, do confronto cria-se o novo.
Alaire nasceu desse confronto, e sua proposta é a mesma do vento: gerar o movimento...”
(Heloísa Galves/Roberto Angerosa)

“Este é um disco de canções flamencas feito por um grupo só de integrantes brasileiros, o Alaire. A guitarra flamenca, o sons de sapateados e as palmas características nos remetem de imediato à Espanha, numa verdadeira viagem ao Velho Mundo”. (Submarino)


“O flamenco é uma cultura riquíssima, originária dos ciganos que vieram da Índia e chegaram ao Sul da Espanha, ali criando raízes e convivendo com árabes, judeus e cristãos espanhóis.
Assim nasceu esta Arte, amálgama de culturas ancestrais.Atualmente, o Flamenco passa por um processo de reatualização de linguagem, com o desenvolvimento de um virtuosismo técnico na dança e de uma variedade musical e rítmica extremamente elaboradas.”




(Retirado de Ana Morena)


Dedicado à ti Miguel, e às nossas belas raízes...

Com carinho,

Neide
.
(Clique na capa frontal para ampliar e salvar)

1. Lo Bueno y lo Malo
2. Barbal
3. Domecq
4. En Los Tropicos
5. Li jali
6. De Lunares
7. Por Batuquerias
8. Otros Aires
9. Taconeo
10. Solea
11. Taranta

.
Flávio Rodrigues – música/guitarra flamenca/palmas nas faixas - Barbal, Li Jali (além de coro), Por Batuquerias (menos música), Taconeo (menos música); somente cante/palmas em
Lo Bueno y lo Malo e somente palmas na faixa En Los Trópicos
Roberto Angerosa – cajon/djembe/ palmas (na faixa Barbal e também na De Lunares; nesta última, com a adição de bongô e vaso), tinaja/palmas (na faixa Lo Bueno...), cajon (na faixa Domecq), cajon/palmas/congas/timbales/cincerro/vaso (na faixa En Los Trópicos), cajon/derbak/palmas/coro (na faixa Li Jali), cajon/bongô/triângulo (na faixa Otros Aires), música/cajon/vaso/derbak/ berimbau/tamborim/chocalho/claves/tambor de fala/palmas/pandeiro (na faixa Por Batuquerias), cajon/palmas (na faixa Solea), percussão/cajon/derbak/vaso (na faixa Taconeo)
Ana Morena – Sapateado (nas faixas Barbal, Taconeo, Por Batuquerias
Fernando de La Rua – música/guitarra flamenca nas faixas - En Los Trópicos, Li Jali (além de coro e palmas) , De Lunares (além de violão baixo e palmas), Solea (arranjo ao invés da música além de palmas), Taranta (somente arranjo e guitarra flamenca), com Marisol Jardim (somente música na faixa Domecq), Lo Bueno...(arranjo ao invés da música com a adição de violão baixo)
Mário Clóvis Gonçalves – contra baixo (na faixas En Los Trópicos) e piano (na faixa Otros Aires)
Baulé – flauta transversal nas faixas – En Los Trópicos, Lo Bueno..., Solea, Taranta e Li Jali (além de coro)
Yara Castro – castanhola/palmas nas faixas – Domecq, De lunares (somente castanholas)
Vanderléia Gonçalves – vocal em Li Jali
Rodrigo Russo Domingos – música/guitarra flamenca na faixa Otros Aires
Carlos Motta – contra-baixo em Otros Aires
Mário Vargas – cante nas faixas Solea e Taranta
Humberto Lincoln – contra-baixo em Por Batuquerias
Luciano Khalib – cajon em Por Batuquerias
Douglas Nuvem – violoncelo em Taranta
.
“Aos mestres flamencos de sempre, Marinho Brazil, Heloísa Galves, Danilo Tiisel e a Associação de Amigos do Caminho de Santiago de Compostela, Maria Elvira Viedma, Agustín Carbonell “Bola”, Hector Bianchi e Juan Manuel Bo do Gitana, Ana Emília Jung, Pepe de Córdoba, Kika, Cristiane, Bernardo, Clarissa e André.”
.

3 comentários:

A.K.A Rafa disse...

Otima Mistura de Arte/cultura e musica.

Otimo blog conheci em 2007 com Mioes Davis Britches Sessions

Yan Kaô disse...

Conheço o Alaire, o Angerosa é meu broder. Nossa, tô muito ocupado, Neide, não consegui mais mexer no meu blogue... preciso ver se tiro o atraso. Beijos!

Neide disse...

Tudo bem Yan, mas sempre que postar algo que imagine ser do teu interesse também, te aviso, pode deixar...

Abraços, tudo de bom!